Serviços O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras
Bionorte
Bionorte
   Brasil, quarta-feira, 21 de Agosto de 2019.CPF:Senha:

Currículo

Currículo do Pesquisador

Angelo Gilberto Manzatto
CitaçõesMANZATTO, A. G.;MANZATTO, ANGELO G.;MANZATTO, A.G.;MANZATTO, ÂNGELO GILBERTO;MANZATTO, ÂNGELO G.;MANZATTO, ANGELO GILBERTO
TitulaçãoDoutorado
ÁreaCIENCIAS_BIOLOGICAS :: Ecologia
Formação
  • Doutorado - Periodo: 2001 a 2005 - Ciências Biológicas (Biologia Vegetal)
    Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho
  • Mestrado - Periodo: 1996 a 2001 - Ciências Biológicas (Biologia Vegetal)
    Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho
  • Graduação - Periodo: 1990 a 1995 - Licenciatura Ciências Biológicas
    Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho
Atuação Profissional
  • Acta Botanica Brasilica- / Periodo: 2007 a atual
  • Check List (UNESP)- / Periodo: 2005 a atual
  • Universidade Federal de Rondônia- / Periodo: 2008 a atual
Linha de Pesquisa
  • Avaliação de risco para a saúde das populações expostas as alterações ambientais causadas pelas atividades antropogênicas
  • Biogeoquimica do mercurio e de elementos traços em ecossistemas amâzonicos
  • Dinâmica e Estrutura das Formações Vegetacionais Amazonicas
  • Usos Multiplos da Agua em Ecossistemas Amazonicos
Projetos de Pesquisa
  • Estrutura da Vegetação e Hidrobiogeoquímica na Região do Interflúvio entre os Rios Purus e Madeira.
    O objetivo deste projeto é o de integrar ações relacionadas a componentes específicos da biodiversidade de plantas em cadeias funcionais de produção de conhecimento. Para tanto, será necessário inserir os laboratórios de pesquisa das instituições participes em ações conjuntas sobre o conhecimento da biodiversidade de plantas, identificar a capacidade existente e responder a componentes específicos de acordo com as diretrizes estabelecidas pelo DNPB. A Estação Ecológica do Cuniã ? ESEC Cuniã concentrará os estudos do componente inventario, por possuir sitio de amostragem constituído de grade padrão do PPBio (25 Km2 ) onde serão realizados estudos de diversos táxons permitindo monitoramento de longo prazo e comparações geográficas. Os levantamentos utilizarão protocolos de amostragem padronizados e integrados espacialmente, usando infraestrutura modular de trilhas e parcelas de amostragem que permitirão coleta de vários grupos taxonômicos em parcelas terrestres, ripárias e aquáticas seguindo recomendações da metodologia RAPELD. Com relação às Coleções Biológicas a principal meta e integrar programas de treinamento e capacitação de recursos humanos e criar infraestrutura para identificação e manutenção de material biológico visando sua manutenção adequada a longo prazo e o acesso a informações contidas nas coleções. Por outro lado, será fundamental identificar limitações na infraestrutura e realizar readequação e ampliações. O planejamento e a integração destas atividades serão realizados em colaboração com os laboratórios de pesquisa, Herbários e Coleções Específicas, Infraestrutura de campo e órgãos responsáveis para avaliação de impactos ambientais e monitoramento de áreas de influência de grandes obras.
    Período: 2016 - atual / Situação: EM_ANDAMENTO / Natureza: PESQUISA
  • Recursos Florestais, Hidrobiogeoquímica e Bioprospecção na Região do Interflúvio entre os Rios Purus e Madeira
    O objetivo deste projeto é o de integrar ações relacionadas a componentes específicos da biodiversidade de plantas em cadeias funcionais de produção de conhecimento e compreender a dinâmica hidrobiogeoquímica dos ecossistemas aquáticos amazônicos. Para tanto, será necessário inserir os laboratórios de pesquisa das instituições partícipes em ações conjuntas sobre o conhecimento da biodiversidade de plantas, identificar a capacidade existente e responder a componentes específicos de acordo com as diretrizes estabelecidas pelo DNPB, assim como atuar na caracterização e qualidade dos ecossistemas aquáticos. A Estação Ecológica do Cuniã ? ESEC Cuniã concentrará os estudos do componente inventário, por possuir sítio de amostragem constituído de grade padrão do PPBio (25 Km2 ) onde serão realizados estudos de diversos táxons permitindo monitoramento de longo prazo e comparações geográficas. Paralelamente, a zona urbana de Porto Velho (RO) será caracterizada as condições físico-química, microbiológica e molecular das águas de poço rasos, profundos e de sistemas de tratamento de água da cidade de Porto Velho. Os levantamentos utilizarão protocolos de amostragem padronizados e integrados espacialmente, usando infraestrutura modular de trilhas e parcelas de amostragem que permitirão coleta de vários grupos taxonômicos em parcelas terrestres e aquáticas seguindo recomendações da metodologia RAPELD. A estrutura em forma de rede de laboratórios de pesquisa facilitará a integração em cada etapa do projeto de pesquisa, integrada a outras linhas desta proposta. As linhas abrangem desde as coletas, a identificação botânica, a clonagem in vitro de espécies de interesse farmacológico, a preparação de extratos, a avaliação do teor de nutrientes e outros elementos químicos ou o potencial biológico/farmacológico dos extratos vegetais. Para isso, se aproveitará a estrutura e funcionamento do monitoramento integrado da Grade padrão do PPBio instalada na ESEC-Cuniã e conjuntamente com taxonomistas e ecólogos identificar as espécies de plantas visando aumentar a quantidade de material biológico que é necessário para a extração e isolamento de princípios ativos e avaliar a atividade biológica dos produtos naturais isolados de plantas, que venham apresentar com precursores de fitofármacos. O planejamento e a integração destas atividades serão realizados em colaboração com os laboratórios de pesquisa, infraestrutura de campo e órgãos responsáveis para avaliação de impactos ambientais e monitoramento de áreas de influência de grandes obras
    Período: 2017 - atual / Situação: EM_ANDAMENTO / Natureza: PESQUISA
  • Dinâmica espacial e temporal, recursos florestais e biotecnologia em floresta de terra firme na planície Amazônica Rondoniense
    O objetivo deste projeto é o de integrar ações relacionadas a componentes específicos da biodiversidade de plantas em cadeias funcionais de produção de conhecimento. Para tanto, será necessário inserir os laboratórios de pesquisa das instituições participes em ações conjuntas sobre o conhecimento da biodiversidade de plantas, identificar a capacidade existente e responder a componentes específicos de acordo com as diretrizes estabelecidas pelo DNPB. A Estação Ecológica do Cuniã ? ESEC Cuniã concentrará os estudos do componente inventario, por possuir sitio de amostragem constituído de grade padrão do PPBio (25 Km2) onde serão realizados estudos de diversos táxons permitindo monitoramento de longo prazo e comparações geográficas. Os levantamentos utilizarão protocolos de amostragem padronizados e integrados espacialmente, usando infraestrutura modular de trilhas e parcelas de amostragem que permitirão coleta de vários grupos taxonômicos em parcelas terrestres e ripárias seguindo recomendações da metodologia RAPELD. Por outro lado, tem aumentado significativamente a procura por produtos concebidos dentro do conceito de ?natureza e sustentabilidade?, no que se poderia denominar ?corrida naturalista?. A Amazônia, com sua megabiodiversidade, tem atraído a atenção de pesquisadores, empresários e comerciantes. O estudo de substâncias bioativas de plantas da Amazônia representa uma importante linha de pesquisa, pela possibilidade de utilização e valorização de mais um produto da floresta, gerando alternativas de produção, emprego e melhorias socioeconômicas. O planejamento e a integração destas atividades serão realizados em colaboração com os laboratórios de pesquisa, Herbários, Infraestrutura de campo e órgãos responsáveis para avaliação de impactos ambientais e monitoramento de áreas de influência de grandes obras.
    Período: 2018 - atual / Situação: EM_ANDAMENTO / Natureza: PESQUISA
  • Modelos preditivos em mesoescala (ecológicos e espaciais) na distribuição da biodiversidade amazônica rondoniense: bases para a integração científica, conservação e o desenvolvimento sustentável
    O desenvolvimento racional e sustentável da região amazônica depende da qualidade dos recursos humanos que atuam na região, particularmente das lideranças em pesquisa, gestão e manejo de recursos naturais, e do nivelamento de desigualdades regionais na formação de recursos humanos de alto nível de qualidade. Os objetivos do projeto, assim como os perfis dos bolsistas pleiteados, foram definidos para fortalecer linhas de pesquisa que atualmente são deficientes e/ou têm alta demanda em Rondônia. Há número reduzido de pesquisadores que trabalham com ecologia de vertebrados e de invertebrados. A captação de um maior número de especialistas nestes grupos é desejável, pela razão óbvia de que os invertebrados compõem uma porção maior da biodiversidade amazônica que os vertebrados, e podem funcionar como modelos mais adequados para análise de padrões espaciais, ecológicos e de bioindicação em muitas situações. Por isso o projeto prevê uma forte interação, que tem um enfoque predominante em taxonomia e sistemática de insetos. A escassez de mastozoólogos é uma grande lacuna na agenda de pesquisas em Rondônia, pois, apesar de não ser o grupo mais representativo da fauna amazônica em termos de biomassa, são os animais que costumam exercer a função de espécies guarda-chuva e têm grande relevância no planejamento de áreas de conservação e monitoramento ambiental. Por outro lado, avançamos significativamente em especialista em ecologia (ver Pansini et at, 2016 e Andrade et at, 2017) de comunidades vegetais, com preferência para ecologia de espécies florestais. A análise dos padrões de variação na estrutura, biomassa e diversidade das comunidades de espécies florestais é um aspecto básico das pesquisas, que, além de fundamental para a avaliação de estoques de carbono e potenciais de uso econômico em cada área de estudo, serve de base para a avaliação dos padrões de distribuição dos demais grupos de organismos. Em uma área gigantesca como a da Amazônia, onde a infra-estrutura de pesquisa ainda é precária, a logística de acesso e transporte é complicada, os custos elevados e os recursos financeiros limitados, é necessário maximizar os benefícios dos resultados de pesquisa em biodiversidade, principalmente com relação aos investimentos gerais realizados. Por isso propomos a integração de alunos de graduação e pós-graduação e jovens doutores especializados em diferentes áreas de estudo de ecologia e biodiversidade em um grupo de pesquisa que procura maximizar o esforço de colaboração entre pesquisadores e instituições amazônicas e a relevância de dados locais para análises de ampla escala espacial e interdisciplinar. Os padrões de mudança no uso e cobertura do solo são importantes mecanismos de modificação da paisagem em diferentes escalas e intensidade. A intensificação do processo de ocupação de novas fronteiras reforça a necessidade de pesquisas que permitam um conhecimento mais acurado de seus recursos naturais, objetivando de tal forma subsídios para o uso e manejo, sem, contudo atender e propor ações mitigadoras que diminuam o impacto. Um dos grandes desafios para o planejamento do uso destes recursos está na correta localização espacial e quantidade por hectare disponível das espécies a serem exploradas racionalmente. Muito embora, pouquíssimas informações estão disponíveis sobre os padrões de distribuição e abundância em florestas densas e abertas, esse conhecimento e fundamental para a estimativa de disponibilidade de diferentes recursos florestais. Os processos determinantes na construção dos empreendimentos e as inter-r elações entre os atores agravam a complexidade da região, e tornam menos eficazes as políticas públicas imediatistas ou que enfoquem apenas questões específicas, sejam elas de caráter conservacionista ou desenvolvimentista. A resposta a estas questões permitirá ampliar o conhecimento da distribuição de diferentes grupos d
    Período: 2018 - atual / Situação: EM_ANDAMENTO / Natureza: PESQUISA
  • Biodiversidade e Bioprospeccão na Amazônia Sul-Ocidental: subsídios para inserção em cadeias produtivas do conhecimento
    A necessidade de integrar as pesquisas biológicas na Amazônia em cadeias eficientes de produção é um dos maiores desafios atuais para os pesquisadores residentes na região. Atualmente, a biodiversidade amazônica não está sendo conservada ou explorada de forma eficiente. Em parte, isto se deve a ausência de conhecimento científico/tecnológico e ao número reduzido de pesquisas realizadas em redes. Frente ao exposto, o Núcleo PPBio Rondônia tem investido em partes específicas da cadeia de produção de conhecimento, como coleções biológicas, cursos de pós‐graduação direcionados a áreas específicas, laboratórios de ictiologia de mamíferos e estudos da estrutura da vegetação. É importante identificar elos da cadeia de produção que não estão bem desenvolvidos no estado de Rondônia, mas é de fundamental importância utilizar o potencial residente no estado. Redes de pesquisa utilizando a infraestrutura de diferentes laboratórios são uma alternativa visando forças aglutinadoras e fortalecedoras de elos da cadeia de produção de conhecimento. Ao mesmo tempo é necessário o fortalecimento e a consolidação institucional como processo chave que promove a ligação entre os componentes que constituem as Redes de Pesquisa. É evidente que face ás condições limitadas de exploração da biodiversidade visando sua cadeia produtiva a presente proposta não pode atender todas as questões relacionadas à biodiversidade na Amazônia. No entanto sua ideia balizadora consiste em alcançar integração focando questões específicas e mostrando como elas podem ser respondidas de modo mais eficaz a partir de ações integradas de todos os componentes, o que geralmente irá requerer ações integradas de diversos laboratórios de pesquisa. Os principais usos da pesquisa em biodiversidade envolvem a produção de informação para (1) conservação e manejo da terra, (2) manejo da vida silvestre, produtos florestais e outros produtos obtidos diretamente de indústrias extrativistas, (3) bioprospecção e (4) domesticação de variedades e desenvolvimento de novas práticas agrícolas. Informações obtidas para um destes usos podem também ser úteis para os demais, portanto é importante sempre ter em perspectiva todos os prováveis usuários de informações geradas por meio da aplicação de recursos limitados e, assim, evitar duplicação desnecessária de esforços.
    Período: 2013 - 2015 / Situação: CONCLUIDO / Natureza: PESQUISA
  • Biodiversidade na Amazônia Ocidental Rondoniense: subsídios para inserção em cadeias produtivas do conhecimento
    O Núcleo PPBIo Rondônia tem como meta primordial integrar as pesquisas biológicas na Amazônia Rondoniense em cadeias eficientes de produção científico/tecnológica. Atualmente, a biodiversidade amazônica não está sendo conservada ou explorada de forma eficiente. O número reduzida de estudos impede que avanços significativos sobre o tema atuem efetivamente em áreas estratégicas tendo como referencial o conhecimento da biodiversidade amazônica. A maioria dos estudos realizados na amazônica se concentra nos grandes centros, como Belém e Manaus. O Núcleo Rondônia carece de recursos humanos qualificados impedindo a captação de recursos, o que, por sua vez, dificulta a capacitação de recursos humanos locais e impedem a inserção da biodiversidade numa cadeia completa de produção do conhecimento. Face as limitações será de fundamental importância promover a capacitação de recursos humanos locais em diversos níveis, , além de viabilizar a adequação de infra-estrutura, como museus, herbários e coleções vivas, a instalação e recuperação de equipamentos e laboratórios, e o intercâmbio necessário para o aproveitamento dos recursos disponíveis. O planejamento e execução dessas atividades serão realizados em colaboração com os usuários das informações, como laboratórios de biotecnologia, gestores de reservas biológicas, áreas de produção madeireira e órgãos responsáveis para avaliação de impactos ambientais e monitoramento de áreas de influência de grandes obras.
    Período: 2009 - 2012 / Situação: CONCLUIDO / Natureza: PESQUISA
  • Rede de cooperação acadêmica para a formação de recursos humanos em desenvolvimento e validação de métodos para análises de amostras relevantes para a agroindústria, a indústria do petróleo, a indústria farmacêutica e para o meio ambiente
    O presente projeto Procad esta focado na cooperação científica entre grupos de pesquisa em química analítica de programas de Pós-graduação emergentes (UFMA e UNIR) com programas de bem estabelecidos (PUC-Rio e UFPB). Essa ação sinérgica possibilitará o intercâmbio de pesquisadores, pós-graduandos e graduandos fortalecendo as atividades científicas e possibilitando o uso de infra-estrutura complementar na formação desses recursos humanos. Pretende-se fortalecer linhas de pesquisa existentes e focar, como tópico novo e relevante, a metrologia relacionada com as medições usando técnicas, metodologias e procedimentos de análises químicas.
    Período: 2008 - 2012 / Situação: EM_ANDAMENTO / Natureza: PESQUISA
  • Diagnóstico de Uso e Ocupação da Bacia do Rio Jamari, Rondônia ? Amazônia.
    Este projeto visa elaborar e integrar um Banco de Dados Ambientais da Sub-Bacia Hidrográfica do Rio Jamari (RO), para fornecer subsídios para a conservação e zoneamento ambiental desta região amazônica. A grande importância desta bacia para a região amazônica refere-se aos usos múltiplos de suas águas em termos de energia, navegação, abastecimento (rural, industrial e urbano) e lazer. Em estudos ambientais que visem o desenvolvimento sustentável, o zoneamento ambiental realizado com técnicas de análise espacial geoestatística e a estatística multivariada são ferramentas importantes na quantificação e interpretação dos dados. Atualmente com o avanço do sistema de posicionamento global (GPS) e sua aplicação na análise ambiental, obtiveram-se ganhos significativos na obtenção de dados. O uso destas técnicas inovadoras propiciará mapeamentos mais precisos e mais rápidos, com maior confiabilidade de posicionamento na localização de informação em um banco de dados. A análise espacial geoestatística, inseridas no sistema de informação geográfica gera mapas temáticos mais confiáveis. A estatística multivariada permite averiguar quais parâmetros são responsáveis pela maior variabilidade de informações para o zoneamento. Alem disso o estudo integrado dos projetos que comporão a rede mais as técnicas que serão utilizadas GPS/SIG/Geoestatística/Análise Estatística Multivariada permitem uma confiabilidade muito grande na tomada de decisões para o zoneamento ambiental. Estas técnicas têm grande aplicação em estudos da qualidade das águas e de impacto ambiental, pois a partir destas, pode-se criar banco de dados georreferenciados com grande aplicação no zoneamento ambiental e monitoramento, como também auxiliar na tomada de decisão das medidas mitigadoras para os corpos de água de uma bacia hidrográfica. O que se propõem com esta técnica é tornar os levantamentos ambientais desta bacia em banco de dados georreferenciados de alta precisão com aplicação direta no zoneamento ambienta
    Período: 2006 - 2009 / Situação: EM_ANDAMENTO / Natureza: PESQUISA
  • Avaliação de risco para a saúde das populações expostas as alterações ambientais causadas pelas atividades antropogênicas na Bacia do Rio Jamari ?Ro
    Os problemas e temas ambientais fazem convergir uma série de interesses que não podem ser vistos sob uma só ótica, disciplina ou setor. A utilização não-sustentável do ecossistema eleva o potencial de alterações ecológicas graves e irreversíveis. Essas mudanças podem ocorrer em tal magnitude que levem a efeitos catastróficos sobre os processos econômicos, sociais e políticos, dos quais a estabilidade, o bem-estar humano e a boa saúde são dependentes. Isso sugere que uma abordagem preventiva com relação à proteção ambiental configura-se como a mais apropriada para proteger e melhorar a saúde da população (WHO, 2002; MEA, 2005). A contaminação química tem contribuído amplamente para a geração de áreas contaminadas e riscos globais, com efeitos em diferentes escalas temporais e espaciais. Em muitos casos, as populações mais expostas aos riscos gerados pelas atividades econômicas estão nas comunidades mais carentes, que não recebem os benefícios do mesmo modelo de desenvolvimento que gera a pressão ambiental. Todos os anos, centenas de novas substâncias químicas de toxicidade e efeitos a saúde desconhecidos são liberadas no ambiente, afetando a qualidade da água, solo e do ar, ameaçando a biodiversidade nos ecossistemas, contaminando alimentos e comprometendo a saúde humana e a segurança alimentar.
    Período: 2006 - 2009 / Situação: EM_ANDAMENTO / Natureza: PESQUISA
  • Modelagem Espacial e Multivariada do Banco de Dados Georreferenciados Visando o Zoneamento Ambiental da Sub-Bacia Hidrográfica do Rio Madeira
    Este projeto visa elaborar e integrar um Banco de Dados Ambientais da Sub-Bacia Hidrográfica do Rio Madeira, para fornecer subsídios para a conservação e zoneamento ambiental desta região amazônica. A grande importância desta bacia para a região amazônica refere-se aos usos múltiplos de suas águas em termos de energia, navegação, abastecimento (rural, industrial e urbano) e lazer. Em estudos ambientais que visem o desenvolvimento sustentável, o zoneamento ambiental realizado com técnicas de análise espacial geoestatística e a estatística multivariada são ferramentas importantes na quantificação e interpretação dos dados. Atualmente com o avanço do sistema de posicionamento global (GPS) e sua aplicação na análise ambiental, obtiveram-se ganhos significativos na obtenção de dados. O uso destas técnicas inovadoras propiciará mapeamentos mais precisos e mais rápidos, com maior confiabilidade de posicionamento na localização de informação em um banco de dados. A análise espacial geoestatística inserida no sistema de informação geográfica gera mapas temáticos mais confiáveis. Alem disso o estudo integrado dos projetos que comporão a Sub-rede mais as técnicas que serão utilizadas GPS/SIG/Geoestatística/Análise Multivariada permitem uma confiabilidade muito grande na tomada de decisões para o zoneamento ambiental. Estas técnicas têm grande aplicação em Estudos da Qualidade das Águas e de Impacto Ambiental, pois a partir destas, pode-se criar banco de dados georreferenciados com grande aplicação no monitoramento e nas medidas mitigadoras para os corpos de água de uma bacia hidrográfica. O que se propõem com esta técnica é tornar os levantamentos ambientais em banco de dados georreferenciados de alta precisão com aplicação direta no zoneamento ambiental. Em síntese o projeto visa à integração dos dados dos outros projetos formadores desta Sub-rede para elaboração de mapas temáticos através da análise espacial geoestatística para o zoneamento ambiental da área em questã
    Período: 2006 - 2009 / Situação: EM_ANDAMENTO / Natureza: PESQUISA
  • Dinâmica biogeoquímica do mercúrio e de metais pesados na Amazônia Ocidental
    Aspectos relacionados à poluição ambiental nos ecossistemas amazônicos tem despertado especial interesse cientifico nos últimos 30 anos, com especial destaque para a presença do mercúrio oriunda da atividade garimpeira na região. No entanto, o ciclo do mercúrio no ambiente amazônico pode ser mais complexo do que se imaginava, pois, vários estudos têm demonstrado que áreas que carecem de fontes antrópicas apresentam elevadas concentrações de mercúrio nos solos, peixes e nas populações residentes destas áreas. Dentro deste contexto, o mercúrio teria uma origem natural, além da antropogênica. Esta constatação de que o mercúrio não possui uma única origem permitiu que outras abordagens e interpretações relativas a sua gênese fossem investigadas. Outro aspecto importante a ser ressaltado é que praticamente não existem informações sobre a participação do mercúrio na ciclagem dos nutrientes em florestas tropicais e, menos ainda, especificamente em florestas amazônicas. Sabe-se que, regra geral, as florestas tropicais são caracterizadas como ecossistemas com grande produção de biomassa, um grande reservatório de nutrientes minerais e que apresentam rápida ciclagem entre os componentes orgânicos e o substrato. Pouco se sabe sobre a participação do mercúrio na compartimentalização da biomassa sendo um campo de pesquisa em aberto e bastante promissor no estabelecimento das relações solo-vegetação-contaminação. No meio ambiente os elementos-traço podem estar presentes em águas superficiais, sub-superfíciais, solos e sedimentos tanto em concentrações naturais, dependendo da formação geológica da região, quanto por atividades antrópicas. Em processos naturais as contribuições para o aparecimento de elementos-traço em águas são o intemperismo de rochas e o escoamento superficial da água das chuvas após lavagem e lixiviamento de elementos no perfil do solo da região. Dentro deste referencial ecológico, a constituição geológica tem grande importância na composição da água dos rios e
    Período: 2006 - 2008 / Situação: EM_ANDAMENTO / Natureza: PESQUISA
  • Usos Múltiplos da Água na Amazônia Ocidental: Bacia Hidrográfica do rio Jamari (Rondônia).
    A degradação ambiental atualmente em curso decorrente da interferência humana nos sistemas hídricos amazônicos é uma barreira significativa para o alcance de bons indicadores de qualidade de vida. Os seres humanos correm riscos devido à presença de produtos químicos inorgânicos e poluentes orgânicos persistentes nos alimentos e na água. Isto pode ocorrer quando o acesso aos mananciais leva à contaminação por causas naturais ou onde as ações humanas resultam na liberação de substâncias tóxicas no meio ambiente. As populações tradicionais da região amazônica se caracterizam pelo baixo nível sócio-econômico e pela dependência cultural, nutricional e econômica do ambiente aquático, condição que as expõe às intempéries naturais da região amazônica. Sob esta perspectiva serão focados nesta rede interdisciplinar levantamentos hidrogeoquímicos e sócio-econômicos de algumas áreas da sub-bacia hidrográfica do rio Jamari. Nesse contexto, o sensoriamento remoto representa uma ferramenta de grande importância para a aquisição de informações sobre regiões extensas, com complexa variabilidade sazonal e de difícil acesso como a região Amazônica. Os rios da região Amazônica apresentam leitos de largura extensa, tendo numerosos braços de escoamento da água. Os eixos fluviais da bacia Amazônica são verdadeiros vias de comunicação humana e corredores de grande importância socioeconômica para a bacia, onde parte de suas atividades encontra-se, com freqüência, exposta às enchentes causadas pelo constante avanço e recuo das águas na região. É necessário resolver esses problemas e, conseqüentemente, avançar para controlar a crescente exposição das pessoas a perigos tais como a contaminação do ambiente por resíduos derivados da atividade humana, assim como a um número cada vez maior de substâncias tóxicas com as quais se tem contato diário. Um problema crítico em toda a região é a descarga de águas residuárias sem tratamento.Na Região Amazônica e crescente a quantidade e a variedade de subs
    Período: 2006 - 2008 / Situação: EM_ANDAMENTO / Natureza: PESQUISA
  • Diversidade, Estrutura e Dinâmica em 10ha de Parcelas Permanentes de Floresta Pluvial Amazônica No Alto Rio Madeira Estado de Rondônia, Brasil
    A Região Amazônica abrange uma diversidade de situações vegetacionais e agroecológicas muito grande (Ribeiro et al. 1999).O conhecimento a respeito da dinâmica, estrutura e diversidade de trechos da floresta amazônica tem sido esparsamente documentado, existindo lacunas quanto à distribuição das espécies e o arranjo espacial das diferentes formações vegetacionais que constituem este complexo Bioma. Dentro deste contexto, é de fundamental importância que ocorra um direcionamento e um aprofundamento dos estudos a respeito das formações florestais amazônicas, particularmente no Estado de Rondônia, que apresenta uma carência de informações relacionados aos estudos de florística e aspectos da estrutura da vegetação. Tais estudos são necessários não somente para uma maior compreensão dos padrões de riqueza das espécies amazônicas. Essas informações permitirão um maior conhecimento a respeito da dinâmica, estrutura e das espécies que compõem setores significativos da floresta amazônica. Desta forma, a dedicação mais intensa e regular dos botânicos e dos ecólogos para a descrição dos elementos e processos ocorrentes em diferentes trechos da floresta amazônica estabelecida no Estado de Rondônia necessitam ainda de maiores investigações, priorizando os esforços também para o entendimento dos processos reguladores da dinâmica florestal e dos mecanismos autoreguladores da diversidade regional. Este conhecimento é de fundamental importância para o estabelecimento de ações adequadas na conservação, manejo e recuperação destas formações e de indicadores de avaliação e monitoramento dessas áreas florestais. Neste contexto, o acompanhamento da dinâmica temporal de uma comunidade florestal em larga escala, têm se mostrado bastante promissor (Whitmore 1989, Condit 1995). Dessa forma, baseado na predição de que o Estado de Rondonia é importante detentor da diversidade florestal amazônica e que o entendimento dos fatores autoreguladores da diversidade florestal é imprescindível para
    Período: 2005 - 2008 / Situação: EM_ANDAMENTO / Natureza: PESQUISA
  • Projeto Calama - Ribeirinhos do Rio Madeira
    O Projeto Calama ? Ribeirinhos do Rio Madeira é uma atividade de extensão sugerida em projeto pelos professores da Universidade Federal de Rondônia, sob coordenação do Departamento de Enfermagem pela Profa. Kátia Fernanda Alves Moreira (CEPESCO-UNIR). Aprovado e financiado pelo Governo Federal através do Ministério da Saúde. A extensão, entendida como uma das funções básicas da Universidade é a interação sistematizada desta com a comunidade, visando contribuir para o desenvolvimento da comunidade e dela buscar conhecimentos e experiências para a avaliação e vitalização do ensino e da pesquisa. Observando este conceito básico, o projeto permite a interação entre comunidade e Universidade através de vários cursos como Medicina, Psicologia, Enfermagem, Educação Física, Ciências Sociais e Ciências Biológicas. Ocorrendo visitas quinzenais durante o período de um ano.
    Período: 2006 - 2007 / Situação: EM_ANDAMENTO / Natureza: EXTENSAO
Áreas de Atuação
  • CIENCIAS_BIOLOGICAS :: Botânica :: Taxonomia Vegetal :: Taxonomia de Fanerógamos
  • CIENCIAS_BIOLOGICAS :: Ecologia :: Ecologia de Ecossistemas ::
  • CIENCIAS_BIOLOGICAS :: Ecologia :: Ecologia Teórica ::
  • CIENCIAS_DA_SAUDE :: Saúde Coletiva :: Saúde Pública ::
Idiomas
  • Francês: Lê: RAZOAVELMENTE, Fala: POUCO, Escreve: POUCO, Compreende: RAZOAVELMENTE
  • Inglês: Lê: BEM, Fala: POUCO, Escreve: RAZOAVELMENTE, Compreende: RAZOAVELMENTE
Banca Julgadora
Tipo de Produção < 201120122013201420152016Total
Banca Julgadora para Concurso Público00100001
Participação em Banca de Doutorado00000011
Participação em Banca de Graduação1220321121
Participação em Banca de Mestrado40101006
Total1622331229
Eventos
Tipo de Produção < Total
Participação em Congresso33
Participação em Encontro22
Participação em Simpósio11
Total66
Orientação
Tipo de Produção < 20112012201320142015201620172018Total
Orientação em Andamento de Doutorado0000001102
Orientação em Andamento de Mestrado0000001102
Orientação em Andamento de Pós-Doutorado0000000011
Orientações Concluídas para Doutorado0001001002
Orientações Concluídas para Mestrado3120010007
Outras Orientações Concluídas100021240019
Total131231372133
Produção Bibliográfica
Tipo de Produção < 20112012201320142015201620172018Total
Apresentação de Trabalho5000000005
Artigo Publicado50104553225
Capitulo de Livro Publicado63001020012
Curso de Curta Duração Ministrado2000000002
Organização de Evento3000000003
Outras Participações em Eventos e Congressos1000000001
Texto em Jornal ou Revista1000000001
Trabalho em Eventos431020000046
Total664125573295
Produção Técnica
Tipo de Produção < Total
Carta Mapa ou Similar11
Outra Produção Técnica55
Trabalho Técnico22
Total88
Pós-Graduação Fale Conosco Financiadores
Coordenação Geral do Doutorado em Biodiversidade e Biotecnologia - PPG-BIONORTE
Universidade Estadual do Maranhão - Cidade Universitária Paulo VI - Predio da Veterinária
Av. Lourenço Vieira da Silva, nº 1000 - CEP: 65.055-313 - São Luis (MA)
Página Inicial  •  Mapa do Site  •  Contato  •  Área Restrita