Barra Brasil
Bionorte
Bionorte
   Brasil, quarta-feira, 20 de Junho de 2018.CPF:Senha:

Integração com Outros Programas

Conheça as parcerias com outras redes similares

          A Rede BIONORTE se relaciona com outros programas e projetos do MCT, conforme listados abaixo:

          O LBA (Projeto de grande escala da biosfera e atmosfera da Amazônia) está voltado para a compreensão dos funcionamentos climatológico, ecológico, biogeoquímico e hidrológico da Amazônia, para análises do impacto das mudanças decorrentes do uso da terra e as interações entre a Amazônia e o sistema biogeofísico global.
A rede GEOMA, rede temática em modelagem ambiental, aprimora métodos para uso da tecnologia de geoprocessamento em aplicações ligadas a instrumentos de gestão ambiental.

          O PPBio (Programa de Pesquisa em Biodiversidade) tem quatro eixos de atuação: apoio à implantação e manutenção de redes de inventário da biota, apoio à manutenção, ampliação e informatização de acervos biológicos do país (coleções ex situ), apoio à pesquisa e ao desenvolvimento em áreas temáticas da biodiversidade e, desenvolvimento de ações estratégicas para políticas de pesquisa em biodiversidade.

          O projeto Cenários para Amazônia constitui-se na integração dos programas de pesquisas na Amazônia (LBA, GEOMA e PPBio), propiciando resultados que permitem ampliar o embasamento técnico-científico e subsidiar a tomada de decisões em níveis estaduais e regionais na Amazônia.

          O Projeto Integrado do MCT e Embrapa na Amazônia (PIME) foi criado para avaliar a sustentabilidade social, econômica e ambiental do Distrito Florestal da BR-163, sendo estruturado em 5 áreas: socioeconomia e dinâmicas sociais; mudanças ambientais; produção florestal e sustentabilidade; gerenciamento, monitoramento e avaliação do projeto; e capacitação.

          Já o PROBEM, Programa Brasileiro de Ecologia Molecular para o Uso Sustentável da Biodiversidade da Amazônia, foi instituído em 2002, com os objetivos de incentivar a exploração econômica da biodiversidade da Amazônia brasileira de modo sustentável, observadas as diretrizes da Convenção de Diversidade Biológica - CDB; promover a implantação de polos de bioindústrias na região amazônica; estimular o aumento de competitividade das empresas regionais de biotecnologia e de bioprodutos para os mercados nacional e internacional; estimular a capacitação tecnológica das empresas regionais em biotecnologia e desenvolvimento de bioprodutos; estimular o avanço tecnológico dos centros de excelência em pesquisa e desenvolvimento de biotecnologia instalados na região; entre outros.

          O Centro Franco-Brasileiro de Biodiversidade Amazônica (CFBBA) foi criado mediante o Protocolo Adicional ao Acordo de Cooperação Técnica e Científica entre os governos do Brasil e da França e tem por objetivo promover o fortalecimento da capacidade científica e tecnológica instalada em ambos os países por meio do intercâmbio e transferência de conhecimentos científicos e tecnológicos, assim como a formação e capacitação de recursos humanos; elaborar e executar projetos conjuntos de pesquisa científica e tecnológica voltados à geração de conhecimentos, produtos e processos; elaborar estudos e propostas de mecanismos operacionais para integração dos setores públicos e privados, de forma a estimular a conservação e o uso sustentável da biodiversidade; e criar empregos para geração de produtos e processos da biodiversidade, além da transferência de tecnologia entre os dois países.

          Já na Região Nordeste, destaca-se a RENORBIO, Rede Nordeste de Biotecnologia, cuja ideia é estabelecer e estimular a massa crítica de profissionais, com competência em Biotecnologia e áreas afins, para executar projetos de PDI de importância para o desenvolvimento da região.

          Para o Centro-Oeste do país, foi criada a Rede Pró-Centro Oeste, que é um programa focado na biodiversidade, geodiversidade e biotecnologia nos biomas Cerrado e Pantanal. Tem por objetivos criar novos cursos de Pós-Graduação e consolidar os programas já existentes na região, aumentar qualitativa e quantitativamente a produção científica e tecnológica e criar condições para implantação da cultura da inovação na região Centro-Oeste.

          A interação com outros programas que integram instituições com competências complementares possibilitará uma cooperação mais abrangente, de modo a permitir o uso sustentável da biodiversidade com maior eficiência e sem degradação ambiental, constituindo-se em uma oportunidade única de atendimento às expectativas sociais, econômicas, ecológicas e culturais para gerações presentes e futuras.

Pós-Graduação Fale Conosco Financiadores
Coordenação Geral do Doutorado em Biodiversidade e Biotecnologia - PPG-BIONORTE
Universidade Estadual do Maranhão - Cidade Universitária Paulo VI - Predio da Veterinária
Av. Lourenço Vieira da Silva, nº 1000 - CEP: 65.055-313 - São Luis (MA)
Página Inicial  •  Mapa do Site  •  Contato  •  Área Restrita