Corpo Discente - Egressos

Andreia Ferreira de Souza
TítuloCaracterização Molecular, taxonomia polifásica, susceptibilidade a antifúngicos e extratos das sementes de Vatairea guianensis em isolados clínicos de Candida sp. na cidade de Manaus.
Data da Defesa18/11/2016
Banca

ExaminadorInstituiçãoAprovadoTipo
Dra. Antonia Queiroz Lima de Souza - Presidente da Banca Examinadora.Universidade Federal do AmazonasSim
Dra. Cintia Mara Costa de Oliveira - Membro da Banca Examinadora.FMTSim
Dra. Cláudia Marques de Oliveira Soeiro - Membro da Banca Examinadora.Universidade Estadual do AmazonasSim
Dr. Felipe Gomes Naveca - Membro da Banca Examinadora.Fundação Oswaldo CruzSim
Dr. José Odair Pereira - Membro da Banca Examinadora.Universidade Federal do AmazonasSim
Palavras-ChavesCandida spp.;Taxonomia Polifásica;MALDI-TOF
ResumoA C. albicans é o fungo mais frequentemente isolado em humanos sadios, sendo considerada a principal espécie patogênica oportunista, entretanto, nas últimas décadas, tem sido observado um significativo aumento de outras espécies não-albicans, implicadas tanto na colonização como em processos infecciosos humanos. A manifestação clínica mais prevalente, deste fungo, na mulher é a Candidíase Vulvovaginal (CVV). OBJETIVOː realizar a caracterização molecular e a taxonomia polifásica de espécies de Candida oriundas de isolados de exsudato vaginal e descrever seus perfis de susceptibilidade a antifúngicos e aos extratos de Vatairea guianensis. METODOLOGIAː A identificação foi realizada por métodos clássicos (Microcultivo, CHROMagar, Auxonograma), MALDI-TOF, multiplex PCR e a molecular. A variabilidade fenotipica foi feita por AFLP, e os testes de susceptibilidade em placa de Elisa por microdiluição com os antifungicos e os extratos de Vatairea guianensis. RESULTADOː A colonização de Candida sp. na vagina foi estatisticamente significativa em pacientes com idade igual ou maior que 35 anos, que faziam uso de roupas íntimas justas e/ou sintéticas, em uso de antibioticoterapia e que tinham episodios CVV recorrente. Das 202 amostras 37,1 % (N=75) foi possível isolar leveduras Candida sp. Na analise da variabilidade genética foi feito a AFLP. Candida albicans foi a espécie mais isolada (64 %), seguida por C. parapsilosis (20 %), C. glabrata (5,3 %), C. tropicallis (4 %), C. haemolinus (4%) e C. krusei (1,3 %) e C. lusitaniae (1,3 %). São necessárias combinações entre métodos fenotípicos e também a realização de provas complementares para a identificação de Candida spp. Os métodos moleculares disponíveis confirmam que o uso de métodos fenotípicos para o diagnóstico clínico deve ser cauteloso, pois possuem baixa acurácia na determinação de espécies Candida não albicans e na identificação de novas espécies. CONCLUSÃOː O MALDI-TOF se mostrou como uma excelente ferramenta para a identificação de espécies de Candida sp, pois associa simplicidade da técnica, procedimentos parcialmente automatizados e principalmente a rapidez do resultado microbiológico, a limitação deste método esta na ausência de um completo banco de dados. C. haemulonii, uma espécie emergente e rara, foi pela primeira vez identificada em isolados do exsudato vaginal de mulheres assintomáticas em Manaus. A grande maioria dos isolados de Candida sp., do exsudato vaginal, apresentou resistência aos antifúngicos fluconazol, itraconazol, cetoconazol e a nistatina. Os extratos das sementes de Vaitarea guianensis apresentou apenas atividade fungistatica em 04 isolados de Candida sp. do exsudato vaginal. Assim, esta pesquisa contribuiu para o conhecimento epidemiológico das espécies de Candida na flora vaginal de pacientes assintomaticas, podendo orientar o diagnóstico em condições patológicas e sendo utilizado na monitorização de infecções emergentes e resistentes às drogas, pois a variação das espécies de acordo com a localização geográfica deve ser levada em conta entre os fatores epidemiológicos de CVV.
AbstractThe C. albicans is the most frequently isolated fungus in humans healthy, being considered the main opportunistic pathogenic species, However, in recent decades, it has been observed a significant increase of other non-albicans species, involved both in colonization as in human infectious processes. The clinical manifestation but prevalent, This fungus, the woman is Vulvovaginal candidiasis (VVC). This study had the objective of making the molecular characterisation and polyphasic taxonomy of Candida species isolated from vaginal exsudate and describe their susceptibility profiles antifungals and extracts of Vatairea guianensis. The identification was performed by methods Classics (Microcultive, CHROMagar, Auxonograme), MALDI-TOF, multiplex PCR and molecular. In the analysis of genetic variability was made to AFLP.The colonization of Candida sp. in the vagina was statistically significant in patients aged 35 years or more, which made use of underwear fair and/or synthetic, in use of antibiotic therapy and who had CVV recurrent episodes. Of the 202 samples 37.1% (N = 75) was possible isolating yeasts Candida sp. C. albicans was the most isolated species (64%), followed by C. parapsilosis (20%), C. glabrata (5.3%), C. tropicallis (4%), C. haemolinus (4%) and C. krusei (1.3%) and C. lusitaniae (1.3%). Combinations of methods are required phenotypic and also carrying out additional evidence to the identification of Candida spp. molecular methods available confirm that the use phenotypic methods for clinical diagnosis must be cautious, have low accuracy in determination of Candida species not albicans and the identification of new species. The MALDI-TOF proved as an excellent tool for species identification of Candida sp, as it associates simple technique, procedures partially automated and mainly the speed of the result Microbiology, the limitation of this method is in the absence of a complete database. C. haemulonii, an emerging and rare species, was first identified in isolates of vaginal exudate asymptomatic women in Manaus. The vast majority of isolates of Candida sp., vaginal exudate, presented resistance to antifungals fluconazole, itraconazole, ketoconazole and Nystatin. The extracts of the seeds of V. guianensis presented only fungistatica activity in 04 isolates of Candida sp. vaginal exsudate. Thus, this research contributed to the epidemiological knowledge of species of Candida in vaginal flora of assintomaticas patients, and may guide the diagnosis in pathological conditions and being used in monitoring of emerging infections and drug resistant, because the variation of species according to geographical location should be taken into account between the epidemiological factors of CVV.
Parceiros