Corpo Discente - Egressos

Ariana Cella Ribeiro
TítuloPrimeiras hidrelétricas em rios de águas brancas na Amazônia: alterações preliminares da Ictiofauna..
Data da Defesa10/06/2016
Banca

ExaminadorInstituiçãoAprovadoTipo
Dra. Carolina Rodrigues da Costa Doria - Presidente da Banca ExaminadoraUniversidade Federal de RondôniaSim
Dr. Izaias Médice Fernandes - Membro da Banca ExaminadoraUniversidade Federal de RondôniaSim
Dr. Mahmoud Nagib Mehanna - Membro da Banca ExaminadoraUniversidade Federal de RondôniaSim
Dr. Rodrigo Barros Rocha - Membro da Banca ExaminadoraEMBRAPA - RondôniaSim
Dr. Tommaso Giarrizzo - Membro da Banca ExaminadoraUniversidade Federal do ParáSim
Palavras-ChavesAmazônia;água branca;reservatórios em cascata;peixes de água doce.
ResumoO barramento de rios para geração de eletricidade é uma das atividades mais impactantes em sistemas aquáticos. São inúmeras as consequências ambientais decorrentes de grandes barragens, incluindo impactos diretos nas propriedades biológicas, químicas e físicas dos rios. Recentemente a bacia Amazônica tem experimentado um boom de construção de hidrelétricas, colocando a sua grande biodiversidade em risco. Durante seis anos foram conduzidos estudos ictiofaunísticos no rio Madeira, três anos antes e três anos depois da construção em cascata de duas grandes barragens (UHEs Jirau e Santo Antônio). Foram amostradas assembleias de peixes dependentes da planície de inundação (pelágicos) e do fundo do canal principal do rio Madeira (bentônicos). Para entender os efeitos dos reservatórios em cascata minha tese foi organizada em três capítulos. O primeiro capítulo apresenta a relação peso-comprimento (RPC) de 112 espécies de peixes, representando 23 família e cinco ordens capturadas no rio Madeira. Oito novos registros de RPC foram apresentados para espécies amazônicas conforme informação da base Fish-Base. RPCs provem um registro histórico de dados para os coeficientes a e b antes do barramento do rio Madeira, permitindo comparações futuras dos impactos promovidos nesses parâmetros populacionais. O segundo capítulo traz um artigo sobre a distribuição espaço-temporal de jovens dos gigantes pimelodídios do gênero Brachyplatystoma spp. Larvas e juvenis estiveram presentes em baixas abundâncias em todas as áreas e durante todo o ciclo hidrológico. A presença de larvas e jovens da espécie Brachyplatystoma rousseauxii ao longo do canal do rio Madeira por todo o período hidrológico sugere eventos de desova assincrônica nas cabeceiras do rio Madeira. Finalmente, nós examinamos as primeiras respostas das assembleias de peixes, tanto pelágicos como bentônicos, três anos antes e três anos depois dos barramentos. As principais mudanças ocorreram nos atributos de riqueza, abundância e biomassa das espécies, sem diferenças notáveis na diversidade e equitabilidade das espécies antes e depois dos barramentos. Observamos alterações imediatas na assembleia associada a planície de inundação, e foram relacionadas as mudanças ambientais locais. Já a ictiofauna bentônica do rio Madeira não apresentou alterações após os barramentos. Nosso estudo é relevante no tocante as respostas da ictiofauna em relação ao tipo de reservatório fio d’água, com impactos menos intensos em relação a regiões com reservatórios tradicionais.
AbstractRiver damming for hydropower generation is one of the most impact activities in river systems. The environmental consequences of large dams are numerous, including direct impacts on biological, chemical and physical properties of rivers environments. Recently the Amazon basin are experiencing an unprecedented boom in construction of hydropower dams. Studies were conducted at six years in the Madeira River, three years before and three years after two reservoirs built in cascade in the largest white-water tributary of the Amazon River (Jirau and Santo Antônio dams’). Fish assemblages depending on floodplains areas (pelagic) and bottom main channel (benthic) were sampled with gillnets and bottom trawl net respectively. To understand the effect of reservoirs in cascade my thesis was organized into three chapters. The first chapter present the length–weight relationships (LWR) for 112 freshwater fish species representing 23 families and five orders captured in the Madeira River. Eight new LWR records are presented for Amazonian species as information for Fish-Base database. LWRs provided historical data about a and b coefficients prior to the damming of the Madeira River, allowing comparison of estimates to predicted future population parameters influenced by human impacts. The second chapter brings an article about the temporal and spatial distribution of young giants’ catfish Brachyplatystoma spp. Larvae and juveniles were present in low abundances in all areas and during all hydrological periods. The presence of larvae and juveniles of Brachyplatystoma rousseauxii along the channel throughout the hydrological cycle suggests spawning regulated by asynchronous floods events in the headwaters of the Madeira River. Finally, we examined responses from fish assemblages depending on floodplains areas (pelagic) and bottom main channel (benthic) three years before and three years after the dams. Overall, there were major differences in species richness, biomass and density but no significant differences in fish diversity and evenness before and after dam construction. Differences in pelagic fish assemblage composition into both reservoirs were noticed immediately, and linked to the increasing in conductivity, deep, oxygen and temperature while channel bottom fish assemblage seems to not respond immediately to the dams’ closure. Our study is especially relevant considering responses from fish assemblages to bulb turbines face to burgeoning new hydroelectricity development plans for rivers across Amazonia.
Parceiros